UTILIDADE PÚBLICA

29/03/2018 Twunay
 


 

A prefeitura de São Sebastião intensificou as ações de vacinação contra a febre amarela. Desde que iniciou a campanha, em 25 de janeiro, o Departamento de Vigilância Epidemiológica garantiu a imunização de57%, ou seja, 33 mil pessoas que estão no público alvo da campanha. A meta,definida pelo Ministério da Saúde é vacinar 100% da população. "É muito importante que as pessoas que ainda não se vacinaram procurem a Unidade de Saúde da Família de seu bairro para garantir a dose de imunização", reforçou a diretora da Vigilância em Saúde, Fernanda Carolina Paluri. As doses estão disponíveis nas 16 salas de vacina localizadas nas Unidades de Saúde da Família, e em duas Unidades de Saúde (Topolândia, Enseada). Nas Unidades de Saúde da Família(USFs) o horário de atendimento é das 8h às 16h; nas duas Unidades Básicas da Enseada e Topolândia a vacinação ocorre em horário estendido, das 17h às 21h. Para se vacinar é necessário apresentar um documento de identidade com foto (RG ou CNH, por exemplo), ou certidão denascimento (no caso de crianças). As crianças, a partir dos 9 meses de idade, deverão ser imunizadas e, de acordo com a Vigilância Epidemiológica, as contraindicações são para as mulheres grávidas, mães que amamentam crianças até seis meses de idade, pessoas quefazem o uso de medicações imunossupressoras, portadores de doenças autoimunes, câncer e alergia grave ao ovo de galinha. "Todas as equipes das Unidades de Saúde foram capacitadas para fazer a avaliação e indicar, ou contraindicar a vacina. Sendo assim, não é preciso ter dúvida, basta procurar uma das unidades e receber todas as orientações. A população precisa se proteger contra a Febre Amarela", destacou Fernanda.

Incidência

Na última quinta-feira (22/03), equipes da Vigilância Epidemiológica do Estado (CVE), da Superintendência de Controle de Endemias (SUCEN) e da Secretaria de Saúde de São Sebastião fizeram uma investigação em campo no bairro de Juquehy, na Costa Sul da cidade, onde no início de janeiro um macaco da raça Sagui - que era criado por uma família da capital Paulista como animal de estimação - adoeceu e ao retornar para São Paulo e veio a falecer. "A Divisão de Zoonoses Estadual foi notificada pelo veterinário que atendeu o animal em São Paulo e, desde então, foram iniciados os procedimentos necessários para a investigação do caso. Após todas estas análises, o Centro de Vigilância Epidemiológico Estadual apontou a área de Juquehy como sendo Local de Provável Infecção (LPI)", explicou a Diretora de Vigilância em Saúde. Diante desta notificação, a Secretaria de Saúde, já tomou as medidas necessárias ao controle da doença e, especificamente em Juquehy, está sendo feito o bloqueio vacinal casa a casa em todo o bairro. "A Secretaria de Estado disponibilizou um veículo 4x4 que irá adentrar as áreas de difícil acesso garantindo o bloqueio vacinal da população que vive em locais próximos à mata. É válido alertar a toda a população que o vírus pode estar circulando em todo o Litoral Norte", enfatizou. Ainda segundo Fernanda, todas as análises feitas pelo Instituto Adolfo Lutz nos três macacos - que foram encontrados mortos em São Sebastião desde o início do ano -deram o resultado negativo para a Febre Amarela.


Fonte: Assessoria de Imprensa da PMSS