Prefeitura de São Sebastião discute nova lei dos ambulantes com associações de moradores

16/09/2017 Twunay
 


 

A nova lei que regulamenta o trabalho ambulante em São Sebastião (048/2017), aprovada com emendas modificativas pela Câmara foi alvo de reunião entre a prefeitura e representantes de diversas associações de bairro de toda a cidade. O prefeito Felipe Augusto preferiu ampliar o debate da lei, com as associações, em busca de opiniões sobre as alterações feitas pelo Legislativo ao texto original. Além do chefe do Executivo estiveram presentes os vereadores Pedro Renato e Edivaldo Pereira Campos. Houve reação negativa das entidades representativas dos bairros, em vários aspectos da lei que foram mudados pelos vereadores. As associações não concordaram principalmente com a elevação do número de guarda sol e cadeiras nas praias. No texto original, a prefeitura permitia quatro guarda-sóis e 20 cadeiras por ambulante, o que foi alterado pelo Legislativo para 20 guarda-sóis com 80 cadeiras por ponto de venda. Outros itens, como a liberação da venda de produtos em embalagens de vidro nas praias; e o prazo de um ano para que os ambulantes se adequem a padronização dos carrinhos, também foram criticados pelas associações. O prefeito ouviu as sugestões, informou que pode acatar algumas delas, e lembrou que a Câmara pode, ou não acatar o veto às modificações propostas pelos parlamentares. Entre as sociedades amigos de bairro estava a mais antiga delas, a Associação Comunitária Amigos de Juquehy (SAMJU). Deborah Zilberstein, membro da diretoria representou o presidente, BrunoZilberstein.

 

Com informações do Departamento de Comunicação da Prefeitura de São Sebastião